- Hoje é
 
 
           Home | Quem somos | Actividades |Contactos
Destaques
Recursos | Documentos | Busca | Visitas | Links
 
 
Deus é Amor!          Aquele que ama conhece a Deus!               Aquele que ama permanece em Deus!          
 :: O dom da Vida
 :: Namoro
 :: Preparar o casamento: CPM
 :: Celebrar o matrimónio
 :: Crescer em família
 :: Rezar em família
 :: Catequese em família
 :: A educação dos filhos
 :: Aconselhamento Familiar
 :: Planeamento familiar natural
 :: Como posso ajudar?
 :: Movimentos Pastoral Familiar
 :: Boletins Informativos

DESENVOLVIMENTO FETAL


O período embrionário abarca os momentos iniciais do desenvolvimento humano desde a fecundação até ao final da oitava semana (ou 56 dias) de gestação. É ao longo deste período que se formam todos os principais sistemas e estruturas.1

Entre a quarta e a oitava semana de gestação os tecidos e órgãos desenvolvem-se rapidamente. No final da oitava semana todos os órgãos importantes estão formados e a funcionar, por exemplo, o coração bate e assegura a circulação do sangue.
 

Fecundação†


Cerca de 1 semana††

Cerca de 4 semanas††

 

 

 

 


 
6 semanas††

 


7 semanas†††



7 semanas†††


8 semanas†††


8 semanas†††

Primeiros dias: O desenvolvimento de cada ser humano começa com a fecundação, quando o espermatozóide fertiliza o óvulo. O embrião recém-concebido desloca-se lentamente ao longo da trompa de Falópio em direcção ao útero. Aí chegado, 5 a 12 dias depois da fecundação, nida-se na parede uterina.2

 

 

 

14-21 dias: O sistema cardio-vascular é um dos primeiros sistemas a mostrar-se activo no embrião humano. Aos 21-22 dias o coração já bate fazendo circular o sangue. Esta actividade é visível na ecografia.3


21-28 dias: O sistema nervoso começa a organizar-se na terceira semana de gestação. Na quarta semana já são visíveis as principais divisões do sistema nervoso central.4 Os braços começam a esboçar-se por volta dos 24-26 dias (e as pernas uns dias mais tarde). Torna-se evidente a formação dos pulmões, do fígado, do estômago, do pâncreas e da tiroide.5


5 semanas: A planta do pé está formada e inicia-se a pigmentação da retina.6


6 semanas: O embrião mede cerca de 2,5 cm. O seu tronco começa a endireitar-se.7


Aos 40 dias é possível detectar actividade cerebral.8



7-8 semanas: O embrião revela todas as características externas e possui todos os orgãos internos de um adulto. Mede cerca de 3,7 cm.


Por volta do dia 51-52 os braços fazem movimentos de flexão e os dedos dos pés estão formados.9


Podemos apreciar os seus movimentos através da ecografia.10
  


O período fetal começa no dia 57 (primeiro dia da nona semana) e continua até ao nascimento. É caracterizado por um crescimento rápido do feto e pela continuação da diferenciação dos tecidos e dos orgãos.11 Entre a décima e a vigésima semana o feto cresce sobretudo em comprimento. Entre a vigésima primeira e a quadragésima semana o feto cresce sobretudo em peso.

Perto do final da gravidez o feto distingue perfeitamente a voz da mãe. Responde a estímulos musicais ou a barulhos e vê a luz através da parede abdominal. A data provável do parto coincide com as 38 semanas após a fecundação, ou seja, cerca de 40 semanas (ou 280 dias) após o início do último período menstrual.12
 


12 semanas†††


12 semanas†††



14 semanas†††


14 semanas†††



20 semanas†††


20 semanas†††


9-12 semanas:
As unhas desenvolvem-se.13 As pálpebras unem-se e permanecem encerradas até cerca das 25 semanas.14


A formação de urina começa entre a 9-12 semanas. Quando o feto urina a micção é descarregado no líquido amniótico.15


É possível distinguir o sexo do bébé pelos genitais externos.16

 

 

13-16 semanas: O feto mede cerca de 7,5 cm de comprimento. Ouve17 e sente dor.18 Os movimentos dos braços e das pernas tornam-se mais coordenados por volta da 14ª semana, mas a mãe ainda não sente estes movimentos.19


O feto chucha no dedo desde a 13ª semana. A pele ainda é fina e os vasos sanguíneos são claramente visíveis através desta.20


Pela 14ª semana as unhas estão bem formadas e nota-se a presença de cabelo.21 As pernas estão bem desenvolvidas.22


No início da 16ª semana os ossos são claramente visíveis na ecografia.23










17-20 semanas: O feto cresce rapidamente e a mãe começa a sentir os seus movimentos (pontapés).24


 
Se nascer aos 5 meses de gestação tem 50% de hipóteses de sobrevivência com cuidados médicos adequados.25

 

 

 

21-25 semanas: Os movimentos rápidos dos olhos estão presentes às 21 semanas. Pelas 25 semanas as unhas, pálpebras e sobrancelhas estão bem formadas. Se nascer entre as 22-25 semanas o feto geralmente sobrevive.26 A pele parece enrugada devido à ausência de gordura subcutânea. É possível ver os capilares.27


26-29 semanas: Os olhos abrem, as pestanas estão desenvolvidas e o corpo do feto torna-se mais cheio, à medida que se deposita gordura subcutânea.28 Se nascer por esta altura os pulmões estão suficientemente desenvolvidos para permitirem a respiração. O sistema nervoso central também está bem desenvolvido.29

30-34 semanas: O feto continua a ganhar peso, as unhas dos pés estão formadas e, no sexo masculino, os testículos iniciam a sua descida em direcção ao escroto. As unhas cresceram até à ponta dos dedos.30 A pele é de tonalidade cor-de-rosa e lisa. Os membros têm uma aparência cheia.31


35-38 semanas: Durante as últimas semanas de gestação o feto harmazena 14 gramas de gordura por dia. Responde espontaneamente à luz e a sua mão agarra com firmeza.32

 

Referências:

 1.  Moore, Keith L. and Persaud, T.V.N. The Developing Human: Clinically Oriented Embryology, 6th
           edition: Philadelphia:
      W.B. Saunders Co., 1998; also England, Marjorie A. Life Before Birth, 2nd ed: London: Mosby-Wolfe,
           1996.
 2.  Moore & Persaud, op cit., p. 18.
 3.  Moore & Persaud, op cit., pp. 77, 350.
 4.  England, op cit., p. 51.
 5.  England, op cit, p. 5.
 6.  England, op cit, p. 6.
 7.  Moore & Persaud, op cit., p. 91.
 8.  H. Hamlin, "Life or Death by EEG," Journal of the American Medical Association (Oct. 12,1964); p.120.
 9.  England, op cit., p 8.
10. Ibid.
11. England, op cit., p. 9.
12. Moore & Persaud, op cit., p. 118.
13. England, op cit., p. 177.
14. England, op cit., p. 9.
15. Moore & Persaud, op cit., p. 112.
16. Moore & Persaud, op cit., p. 109.
17. M. Clemens, "5th International Congress Psychosomatic," Obstetrics & Gyneclogy (Rome: Medical
        Tribune, March 22,       1967): p. 7.
18. S. Reinis and J.M. Goldman, The Development of the Brain (Springfield, IL: Charles C. Thomas
        Publishers, 1980), p. 12.
19. Moore & Persaud, op cit., p. 112.
20. England, op cit., p. 10.
21. England, op cit., p. 11.
22. Moore & Persaud, op cit., p. 109.
23. Moore & Persaud, op cit., p. 112.
24. England, op cit, p. 13; also Moore & Persaud, op cit., p. 113.
25. University of Wisconsin Medical School (2001),
      http://www.pediatrics.wisc.edu/patientcare/preemies/anticipating.html#survival
26. England, op cit, p. 15.
27. Moore & Persuad, op cit., p. 114).
28. England, op cit., p. 212.
29. Moore & Persaud, op cit., p. 114.
30. England, op cit., p. 173.
31. Moore & Persaud, op cit., p. 117.
32. England, op cit., p. 117.

Fotos:
†     David Phillips / Photo Researchers
††   Petit Format / Photo Researchers
††† Andrzej Zachwieja and Jan Walczewski.

 
 
©Copyright - Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar, 2004