Grupo Missionário em Missão no Brasil

O grupo missionário João Paulo II, da Diocese de Coimbra, encontra-se em nova missão no Brasil. Recorde-se que, este grupo de jovens, liderado pelo padre Luís Miranda, deu início a um projecto missionários, em Chapadinha (Nordeste do Brasil), em 2007, numa estreita colaboração com as Irmãs Criaditas dos Pobres e os missionários da Boa Nova.

No domingo passado, cinco jovens voluntários - Ana Rita Marques (Condeixa), Filipe Nunes (Condeixa), Rute Santos (Almagreira), Joana Ferreira (Pombal), Clara Domingos (Chã de Tavares/Diocese de Viseu) e o padre Luís Miranda foram enviados para nova missão no Nordeste brasileiro onde terão que acompanhar as comunidades daquela região, prestando formação sobre cuidados de higiene e segurança alimentar, formação bíblica, etc. Para uma missão na Diocese de Aveiro, de forma a abrir uma “sucursal” deste grupo foram enviados outros quatros jovens, Susana Marques (Santo António dos Olivais/Coimbra), Henrique Loulé (Penela), Tiago Rodrigues (Pelariga) e Bárbara Leitão (Paróquia de Santa Cruz/Coimbra).

“Gostaria muito que este grupo missionário João Paulo II e todos aqueles que se dedicam na Igreja ao anúncio da Boa Nova do Reino nos ajudassem a compreender o significado deste poder, desta Palavra”, afirma o Bispo de Coimbra ao presidir à Celebração Eucarística que assinalou o “envio” destes missionários que teve lugar na igreja de Santa Justa, em Coimbra. D. Virgílio Antunes reconhece que, por vezes, as nossas comunidades, não entendem o alcance desta vocação, de doação pelo próximo, do anúncio da Boa Nova de Jesus. “Trata-se de algo que não nos pertence, que não é nosso, sendo estes jovens, simples mensageiros, de preferência rectos, humildes, entusiasmados a anunciar alguém, algo que acolhemos diariamente, nas nossas emoções, nos nossos pensamentos, nas nossas palavras e na nossa vida. É o poder de Deus a manifestar em nós”, afirmou D. Virgílio Antunes.

Ao dirigir-se ao grupo de voluntários que partiram em missão a anunciar a Boa Nova do Reino, o Bispo de Coimbra pediu para mostrarem a vossa força aos que não acreditem na vossa prepotência e audácia aqueles que a conhecem. “Quem dera que cada um no seu lugar, no seu modo de pertença à Igreja, no seu modo de viver a sua vocação, pudesse mostrar esta força de Deus, através do seu testemunho, da sua palavra e da sua vivência…”

Para D. Virgílio, estes jovens aqui presentes inserem-se nas linhas fundamentais da Igreja de hoje e de todos os tempos, que se centra numa Igreja missionária, e que se centra nos planos da diocese, nos seus objectivos centrais, na sua acção pastoral. E porquê? Porque na Igreja fundada por Jesus Cristo foi enviada a anunciar a Boa Nova do Reino, que o Evangelho se referia hoje, sob a forma de parábolas. “Anunciai que Deus está presente no nosso mundo, que Cristo anima os vossos corações e que n´Ele está a salvação de tudo e de todos”, concluiu o prelado.

O Grupo JP2 é um projecto Missionário da Diocese de Coimbra para Jovens. O Grupo JP2 nasce de “dois sonhos” que se cruzam:

O ‘sonho’ do Padre Luís Miranda, desde os últimos anos de seminário, que animado pelo testemunho do Papa João Paulo II sente o apelo a ajudar os jovens cristãos a viverem o dinamismo missionário da Igreja, a ser «tudo para todos» ao jeito dos primeiros discípulos e das primeiras comunidades, promovendo uma experiência de vida partilhada e comprometida com os mais pobres dos pobres.

Por outro lado, o projecto missionário da diocese ganha também corpo graças ao desejo do saudoso bispo de Coimbra, D. Albino Cleto, que desejava também suscitar em toda a diocese um dinamismo missionário renovado, onde os jovens pudessem ter vez e voz. O projecto foi sendo ‘desenhado’, de um modo mais intenso a partir de setembro de 2005, e nasce oficialmente a 4 Novembro 2007, com o encontro de apresentação aos jovens da diocese que se inscreveram.

E porquê o nome Grupo Missionário João Paulo II?

Chama-se Grupo Missionário João Paulo II, pois tem na figura do Santo João Paulo II, no seu estilo de ser, de falar e de estar com os jovens e para os jovens, a sua fonte inspiradora. Por outro lado, seguindo o seu exemplo, o Grupo pretende ser testemunho do amor vivo de Jesus Cristo sendo aquelas ”Sentinelas da Manhã”, como nos desafiou o Papa João Paulo II no ano 2000.

 in Amicor

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano