Peregrinação a Fátima - Homilia de Dom Virgílio

PEREGRINAÇÃO A FÁTIMA - 2018

MISSA DA VIRGEM MARIA, MÃE DO BOM CONSELHO

Caríssimos irmãos e irmãs!

Temos a graça de voltar de novo em peregrinação ao Santuário de Fátima, este lugar sagrado escolhido pela Mãe de Deus para se encontrar com a humanidade e aqui nos convidar ao encontro com Cristo, seu Filho. Uma peregrinação é um símbolo do caminho de vida e de fé que queremos fazer, em resposta à vocação cristã, à vocação de discípulos de Cristo. Por outro lado, constitui um momento forte de reflexão, de escuta da Palavra de Deus, de oração e de construção da nossa condição de membros da Igreja, à qual Jesus deu por mãe a Virgem Maria.

A vinda a Fátima em peregrinação tem um significado muito grande para o Povo de Deus, para as comunidades, para as famílias e para as dioceses. No nosso caso, é o momento de maior e mais visível expressão da nossa condição de Igreja Particular, e não admira, pois a Mãe de Deus e nossa Mãe, tem essa vocação, a de reunir todos os filhos numa só família.

Ao longo do ano e em todos os tempos, cada pequena comunidade cristã, procura alimentar a sua fé por meio da piedade mariana, inúmeras pessoas de todas as idades, mas especialmente as que se encontram debilitadas pela doença ou pela idade, em casa e nos lugares de acolhimento, não sabem como poderiam viver sem esse momento central do dia, que é a oração do terço. Nessa oração, a mais comum de toda a piedade popular, estão presentes as alegrias e dores de toda a humanidade: sente-se a realidades da vida familiar, os problemas do mundo, as intenções da Igreja. Para muitos cristãos que não têm possibilidade de participar na liturgia dominical ou ao longo da semana, a oração do terço torna-se lugar de forte espiritualidade, de comunhão com Deus e com os irmãos, de fraternidade universal, verdadeiro lugar de graça e misericórdia.

Nesta celebração, agradecemos a Deus por ter despertado em nós e na Igreja de Cristo esta via de progresso na fé e no amor, a via do conhecimento da maternidade divina e Maria, da sua condição de imagem e modelo da Igreja, e ainda esta filial devoção mariana que nos leva à oração e meditação quotidianas dos mistérios da nossa salvação, nos mistérios do Rosário.

De entre os vários conselhos que Nossa Senhora nos deixou aqui em Fátima, este é, sem dúvida dos mais repetidos: “rezai o terço todos os dias”. Como discípulos e como filhos procuraremos dar ouvidos ao seu apelo, procurando, porventura, descobrir a sua grande importância no caminho pessoal, familiar e comunitário de fé, mas também como meio de encontro da paz de Deus, da harmonia interior e do amor ao próximo.

De Fátima, levaremos o compromisso de rezar o terço todos os dias em comunidade, acompanhado pela meditação bíblica dos mistérios da fé, pela leitura orante da Palavra de Deus, nas inúmeras capelas e igrejas espalhadas das nossas aldeias e cidades. Se já o fazemos em maio e outubro, poderemos alargar a todos os dias e meses do ano e sentir-nos-emos a progredir na vida cristã, no amor a Deus, à Igreja e a toda a humanidade.

De Fátima, levaremos o compromisso de rezar o terço todos os dias pessoalmente, no meio das mais variadas ocupações, quando trabalhamos, quando descansamos, quando viajamos ou fazemos as nossas caminhadas... É uma forma simples e amorosa de estarmos em comunhão com Deus e com a Igreja, verdadeiro apelo contínuo à conversão que, juntamente com a vida quotidiana, nos ajuda a manter a atitude orante sugerida pelo Evangelho de Lucas (18, 1) quando nos fala da “obrigação de orar sempre, sem desfalecer”, ou da Epístola aos Tessalonicenses (5, 17), quando nos exorta “rezai sem cessar”.

Celebramos hoje a Missa Votiva da Virgem Maria, Mãe do Bom Conselho, título que a Tradição da Igreja lhe confere desde longa data. É outro modo de dizer que  Maria é Mãe de Jesus, o Messias e Filho de Deus, a quem Isaías profeticamente intitulou “Conselheiro admirável”.

Maria centrou toda a sua vida em Jesus, o Conselheiro que se nos apresenta como o Caminho, a Salvação e a Vida. Por meio das suas poucas palavras referidas no Evangelho e atualizadas aqui em Fátima, a Virgem Maria aponta-nos sempre para Cristo; por meio do seu exemplo, Ela mostra-nos o que significa seguir Cristo, o Conselheiro admirável, na condição de discípula que ouve as palavras de Cristo, presencia os seus gestos de graça e de misericórdia, acompanha o seu caminho até à cruz, testemunha a fé na sua ressurreição gloriosa e acolhe com os discípulos o dom do Espírito Santo.

Na nossa caminhada de fé, podemos continuar a aprender d’Ela o que é ser discípulo bom e fiel, o que implica ser Igreja, Povo de Deus, constituída por muitos discípulos, que têm por vocação ser fiéis e ser santos. Como Igreja, animada pelo mesmo Espírito Santo, temos por vocação ser discípulos de Jesus como tantas vezes cantamos no hino, que sintetiza a nossa identidade: “Somos comunidade de discípulos/ de Jesus Cristo nosso Salvador,/ que anuncia o Evangelho do Reino,/ de verdade, justiça e amor”.

A frase, que hoje ouvimos no Evangelho de São João – “Fazei tudo o que Ele vos disser” – exprime a autenticidade do título da Virgem Maria, Mãe do Bom Conselho e sintetiza a totalidade da sua atitude de vida: seguir sempre e em tudo a vontade do Pai, revelada por Jesus nas suas palavras e nas suas obras.

Abertos como Maria à iluminação do Espírito Santo, havemos de interrogar-nos diariamente: o que é que Jesus nos diz e o que é que havemos de fazer? Em poucas palavras, de forma muito simples e voltando sempre ao Evangelho, encontraremos a resposta: convertei-vos ao Senhor; vivei na caridade; sede misericordiosos uns com os outros; sede alegres na esperança; trabalhai unidos e em comunhão com Deus e com os irmãos, na Igreja a que fostes chamados; sede sal, fermento e luz no meio do mundo; anunciai a todos a Boa Nova do Reino.

Pela via mariana, que não é senão a via da Igreja, iluminada pelo Espírito Santo e centrada em Jesus Cristo, havemos de perseverar na fé, na esperança e no amor, dons inestimáveis, que dão à vida terrena o sabor do vinho bom e fortalece para a eterna salvação.

Obrigado, ó Virgem Maria, pelo dom do bom conselho que sempre nos destes; obrigado pela mensagem que, aqui em Fátima, renovastes para nós e para o nosso tempo.

Com o coração de filhos, pedimos a vossa intercessão para que sempre e em tudo estejamos disponíveis para seguir o Vosso conselho materno: “Fazei tudo o que Ele vos disser”!

Fátima, 14 de julho de 2018
Virgílio do Nascimento Antunes
Bispo de Coimbra

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano