Dom Virgílio Antunes encerrou visita pastoral ao Arciprestado do Nordeste

Palavras de otimismo realista na Festa de Encerramento da Visita Pastoral

D. Virgílio confessou-se otimista, sem deixar de ser realista, em relação ao futuro da Igreja no Arciprestado do Nordeste, na Festa de Encerramento da sua Visita Pastoral a este arciprestado. A Festa decorreu no Santuário de Nossa Senhora das Preces, no dia 18 de junho, juntando cerca de mil pessoas oriundas das cinco unidades pastorais que compõem o Nordeste: Oliveira do Hospital, Tábua, Arganil, Góis e Pampilhosa da Serra.

Apesar da alegria de estarem reunidos em Igreja com o seu bispo, ninguém ficou indiferente aos trágicos acontecimentos de Pedrógão, e D. Virgílio propôs que se fizesse uma oração especial por quem estava a sofrer e por aqueles que tinham falecido no incêndio.

A partir das 10 horas foram chegando os participantes que foram acolhidos diante da Igreja do Santuário, onde alguns membros da Irmandade de Nossa Senhora das Preces ofereciam desdobráveis com a apresentação do mesmo.

No palco principal fez-se uma pequena oração da manhã e deu-se início às diversas atividades: na Igreja iniciou-se uma Oração de Adoração ao Santíssimo dirigida por dois Diáconos Permanentes, alguns dirigentes escuteiros dinamizaram algumas brincadeiras com as crianças, três jovens animadores desenvolveram algumas dinâmicas com o pequeno grupo de jovens que se juntou. No palco, dois jovens apresentaram os diversos intervenientes, começando pelo Pe. Borges, que fez uma resenha histórica das origens do arciprestado. Deram o seu testemunho dois animadores da Catequese de Adultos de Oliveira do Hospital, o casal que dinamiza a Pastoral Familiar no arciprestado e dois jovens sobre o Curso Alpha Jovem. Finalmente, o Pe. Paulo Filipe entrevistou o Sr. Bispo sobre as suas impressões no que diz respeito a esta visita pastoral e as suas perspetivas para o futuro.

Terminadas estas atividades, todos procuraram uma sombra para partilhar os farnéis. Às 15 horas teve início a atuação do Grupo de Concertinas “Os Oliveirenses”, a que se seguiu a atuação do Grupo AMA (Associação de Melhoramentos Aldeiense) com os seus cantares tradicionais.

O ponto alto da Festa foi a celebração da Missa que decorreu ao ar livre, com o colorido das Irmandades, com a música litúrgica de um coro de Arganil a que se juntaram elementos de outros coros, com a nomeação dos membros do novo Conselho Pastoral do Arciprestado.

D. Virgílio deixou a todos uma mensagem de esperança, com um otimismo cristão cheio de realismo, sem esconder as dificuldades que a Igreja, neste arciprestado, precisa de enfrentar, apontando para os desafios que é preciso agarrar – nomeadamente a continuação do esforço de primeira evangelização aos que estão mais afastados –, indicando o papel decisivo que os leigos têm na missão da Igreja.

 

 Link para Album Fotográfico do Pe João Fernando Dias

 

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano