Papa pede perdão por perseguição da Igreja Católica à Igreja Valdense

O Papa pediu perdão à Igreja Valdense por “comportamentos não cristãos” do passado. A visita realizada a 22 de Junho à Igreja Evangélica Valdense em Turim é histórica. Francisco tornou-se o primeiro Papa a entrar num templo desta denominação cristã nascida no século XII.
O Papa foi acolhido pelo pastor desta comunidade, que salientou que Francisco ultrapassou um muro de 800 anos de excomunhão.
Durante a Idade Média, a Igreja fundada por Pedro Valdo foi perseguida por apostar na livre pregação da Bíblia, traduzida nas línguas locais.
“Infelizmente aconteceu e continua a acontecer que os irmãos não aceitem as suas diferenças e acabem por fazer a guerra uns contra os outros”, disse o Papa.
“Ao reflectir sobre a história das nossas relações, só podemos lamentar os conflitos e a violência cometida em nome da própria fé, e peço ao Senhor que nos dê a graça de reconhecermos todos os pecados e sabermos perdoar uns aos outros. Em nome da Igreja Católica, peço perdão por atitudes e comportamentos não cristãos, nem mesmos humanos, que ao longo da história tivemos contra vós”, acrescentou.
No final do encontro, o Papa recebeu uma cópia da primeira Bíblia, em francês, encomendada pelos valdenses quando, em 1532, aderiram à Reforma de Genebra (calvinismo).

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano